O que causa as rachaduras no prédio, e quando elas são um problema?

Por:Mídias
Vistoria & Inspeção

15

Nov 2017

É certo que em praticamente todas as construções que são feitas com alvenaria e concreto vão aparecer fissuras. Isso se deve muito à baixa elasticidade destes materiais e que, por isso, são mais suscetíveis às movimentações da estrutura. Este é um problema recorrente, e mesmo depois de intervenções para correção, eventualmente elas aparecem de novo.

As fissuras surgem quando a força no material é maior que a sua capacidade de resistência, e as aberturas são formas de aliviar as tensões. Dessa forma, quanto maior é a restrição em relação aos movimentos, maior será a fissuração.

É preciso entender, porém, que quando as fissuras começam a ser maiores e mais constantes pode ser um indicativo de problemas mais sérios. Nesse post vamos entender melhor o que são as fissuras, por que ocorrem e os cuidados a serem tomados.

Fissura, trinca ou rachadura?

A diferença entre as nomenclaturas geralmente causa confusão.

Em termos técnicos, a nomenclatura mais correta é fissura e trinca, e elas são classificadas conforme o tamanho da sua abertura.

Segundo a norma de impermeabilização (NBR 9575:2003), as microfissuras têm abertura inferior a 0,05 mm. As aberturas com até 0,5 mm são chamadas de fissuras e, por fim, as maiores de 0,5 mm e menores de 1,0 mm são chamadas de trincas. O termo rachadura é uma expressão mais coloquial, e utilizado popularmente para se referir a trincas maiores.

Outra diferença na classificação das fissuras é se elas são ativas ou passivas. As aberturas ativas variam conforme as mudanças de tensões. Um exemplo de fissura ativa é aquela causada pela dilatação e contração térmica. Quando a fissura não varia ao longo do tempo ela é chamada de fissura passiva.

Independentemente do tamanho e do tipo, as fissuras e trincas são indicativos que a estrutura está sob tensão. As normas de desempenho de concreto preveem as aberturas devido à natureza do material, e portanto fissuras maiores merecem atenção.

Causas mais comuns de fissuras, trincas e rachaduras no prédio

1. Recalque de Fundação

Os recalques diferenciais de fundação são algumas das causas mais recorrentes de fissuras e trincas nas edificações. A principal manifestação desta patologia são as fissuras em ângulo aproximado de 45º nos cantos de janelas e portas. O recalque acontece quando há diferença de adensamento do solo, e assim diferentes partes da edificação “rebaixam”. Quando maior é a diferença dos pontos de recalque, maior será o problema para a construção.

rachaduras no prédio fissuras recalque de fundação

Quando devo me preocupar?

Esse tipo de fissura já é previsto, pois é praticamente impossível prever todos os recalques de fundação. Por isso são feitas as vergas e contravergas nas aberturas (portas e janelas), para minimizar os efeitos. Quando as fissuras começam a ficar cada vez maiores, é preciso ligar o sinal de alerta. Primeiramente, pois essas aberturas são pontos críticos de infiltração, e podem comprometer a parede tanto interna quanto externamente. Além disso, trincas grandes são indicativos de problemas mais sérios de fundação.

O que devo fazer?

Os primeiros passos que o profissional deve tomar estão relacionados à identificar a causa e real gravidade do problema. Em geral, é preciso tomar os cuidados de correção e consequentemente selagem das fissuras, principalmente para evitar os problemas decorrentes da infiltração de água.

2. Variação Térmica

A variação térmica é a causa mais comum das fissuras ativas. As diferenças de temperatura causam dilatação e contração dos materiais e, quando não são feitas as juntas de dilatação, surgem as fissuras. É possível notar esse tipo de patologia nas paredes, e principalmente no teto onde a incidência e a área são maiores. É muito comum vermos as fissuras ocorrem próximo do encontro das lajes com a alvenaria.

rachaduras no prédio fissuras variação térmica trincas

Quando devo me preocupar?

Novamente, são fissuras de certa forma esperadas. O que não pode ocorrer é o aumento constante dessas trincas, de forma que a alvenaria seja comprometida de forma irreversível. O profissional deve investigar as causas das fissuras, e avaliar como elas estão se comportando.

O que devo fazer?

Se as juntas de dilatação não foram feitas durante a execução da estrutura, é essencial que sejam feitas neste momento. As juntas funcionam como um ponto de alívio de tensões, e a estrutura pode se movimentar sem comprometer a segurança e estabilidade da edificação. Saiba mais:

3. Retração do Concreto

O concreto e as argamassas em geral, como sabemos, devem passar por um processo de cura, popularmente conhecido como “secagem”. É preciso respeitar esse período, pois durante o processo de cura a perda muita rápida de água causa a retração, e consequentemente fissuras. É por isso que é recomendado manter a superfície da laje úmida após a concretagem, por exemplo. Da mesma forma, os prazos de execução de trabalhos de emboço e reboco devem obedecer às recomendações das normas técnicas, evitando assim maiores problemas com as trincas.

rachaduras no prédio fissuras retração do concreto trincas na parede

Quando devo me preocupar?

As fissuras de reboco e embosso devido a retração excessiva durante o processo de cura não apresentam um risco estrutural, mas podem acabar comprometendo o acabamento e revestimento final. Já em relação às lajes e outros elementos estruturais, as fissuras podem representar pontos críticos e que podem levar à exposição das armaduras e risco estrutural.

O que devo fazer?

Quando as fissuras nas paredes e teto estiverem perceptíveis, é uma boa prática refazer o revestimento, dessa vez respeitando os prazos estabelecidos por norma para a sequência de execução dos trabalhos. Já em relação às fissuras nos elementos estruturais, a recomendação é procurar ajuda profissional para fazer a avaliação dos riscos.

IMPORTANTE: Rachaduras na Estrutura

Em relação às rachaduras e grandes trincas nos elementos estruturais (vigas, pilares, lajes e fundação) é preciso entender que se trata de um problema muito sério.

As rachaduras podem surgir pelos mais diversos motivos, além dos já citados, a falha de execução, o uso de materiais de baixa qualidade, a falta de manutenção preventiva, fenômenos naturais como fortes chuvas, ventos, abalos sísmicos, falha de dimensionamento de projeto.

Portanto, ao identificar grandes aberturas nas estrutura procure ajuda profissional imediatamente – se você é síndico, não deixe de inspecionar o prédio periodicamente para identificar as rachaduras o quanto antes. E principalmente, não tente resolver o problema com as próprias mãos, e utilizando técnicas e materiais inadequados com o risco muito grande de agravar ainda mais o problema.

 

*Fonte: FiberSals


Compartilhe:

Avenida Prudente de Morais, 840 sala 404 Bairro Cidade Jardim BH/MG

++ 55 (31) 3267-0949

contato@saletto.com.br